"Onde reinam intenções honestas,
mal entendidos podem ser curados
com rapidez e eficácia."

26 de maio de 2012

Mansão

Mansão querida, tentei manter-te em pé, mas fui vencida por idéias diferentes das minhas.
Para mim tens alma, para outros és só pedra.
Talvez por ter morado aqui por mais tempo que qualquer outra pessoa que por aqui passou, sinto-me entranhada em tuas paredes.
Estás velha, necessitas algumas cirurgias vasculares e outras plásticas e uma pessoa pensou em fazer isso. Enfrentou alguns dissabores, para que ficasses em pé mas, quando $$ falam mais alto os corações se calam.
 A lareira na sala grande, cenário para a noiva mais linda da família, que casou quando eu era recém nascida, 
foi protagonista em muitos invernos, aquecendo-nos e motivando até um chamado aos bombeiros pois o Tiago exagerou na lenha e o picumã da chaminé incendiou, fazendo com que nuvens de fumaça saíssem como que do telhado, mas foi apenas o susto. 
As festas de aniversário da Aline e Tiago sempre realizaram-se aqui. Esta foi no terceiro aniversário da Aline que está com o vestidinho xadrez com branco. Dentre estas, aqui crianças, hoje duas são médicas, um agrônomo, um brilhante advogado, duas donas de casa, dois não recordo e também, duas são lindas estrelas brilhando no céu: Daniela Zir e Fabiano Metz.
Linda recordação, também na sala grande, no dia do batizado do Tiago. Luiz, Aline linda como sempre e Tiago, chorãozinho amado, dormindo no meu colo.
Primeiro aniversário do Tiago. Em todos os aniversários aqui, desde a decoração aos doces e salgados tudo feito em casa, por mim com a preciosa ajuda da vó Lilly, da comadre Ria e sempre com a companhia da Tante Inge, servindo o chimarrão.
Segundo aniversário do Tiago
Assim como pessoas queridas presentes nas fotografias já estão junto aos espíritos de luz, e a araucária imponente virou lenha, tu mansão amiga também em breve darás lugar a um (perdoem quem pensa diferente) horroroso prédio, onde as pessoas apenas passarão, mas não darão vida às habitações, onde os vizinhos não se conhecem e evitam contato, enfim onde não mais crianças correrão no quintal, amoras não mais serão colhidas, nem as laranjas, os limões e as pitangas.
 Os bem te vi, as pombas, os sabiás laranjeira, os pardais e até as lesmas terão que procurar outro lugar para morar.
Ah! e eu também.

17 comentários:

  1. Poxa Beth
    Me emocionei lendo isso ..

    ResponderExcluir
  2. Muitas histórias, lembranças, vivências, experiências, muito há de se recordar e guardar na mente, esta casa foi palco de tantas coisas, tantas vidas partilharam momentos dos mais diversos. As fotos são um tesouro, congelam momentos, eternizam, matamos as saudades de quem não está mais conosco, de quem cresceu e venceu, de quem perdemos o contato, enfim...

    Acompanho o blog há um bom tempo e ver a mansão, cada parte mostrada, os peludos dividindo os espaços, cavando o quintal, nos sentíamos perto, dividindo contigo cada cômodo, cada área, interna ou externa.

    Sinto muito por ti, amiga, por ter que despedir-se, por saber que ela dará lugar a um empreendimento como o que descrevestes, onde não mais será possível manter tesouros tão simples e deliciosos.

    Um beijo enorme, querida, me emocionei também, muito.

    ResponderExcluir
  3. Triste despedida da tua casa cheia de lembranças lindas...Emocionante. Pena que isso acontece,não/ beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Beth, posso imaginar o quanto está sendo difícil, já que a história da tua mansão se mistura com a da tua vida e de tantos seres especiais para ti. Mais uma saudade para unir-se às demais... Eu também me emocionei demais com este tributo lindo e cheio de sentimento. Abraço beeem apertado, amiga querida

    ResponderExcluir
  5. Olá Beth!
    Me emocionei ao lêr o teu texto.Que linda mansão e como a vida se mistura a estas paredes,cores e quartos!!!É realmente muito triste ver que no lugar dela surgirá um horroroso predio frio e sem alma!!!
    Sei como te sentis!!!Mas a vida é assim infelizmente!!
    Bjosss querida e um lindo domingo.

    ResponderExcluir
  6. Que triste Beth!!...Mas, infelizmente tudo nessa vida tem um fim, não é mesmo? Até os lugares que vivemos e damos alma e vida, um dia se desfaz. É a vida.
    Um grande abraço,
    Néia

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que mansão linda! Mas despeça-te dela e das paredes que tanto viram da tua vida (assim como eu me despedi da casa de POA), mas abra teu coração para nova vida. Linda mansão mesmo...

    ResponderExcluir
  8. Bethoca querida.....

    Adorei seu parabéns... e nem precisa de ajuda da Sculleta... tenho muito carinho por vc... e sei bem como são essas coisas de humanos!!! Estamos à volta com isso também... é um desgaste absurdo!!!
    Beijinhos e boa semana!!!

    Ana

    ResponderExcluir
  9. Puxa!!!! Que lindas recordações Beth. Tão difícil ver que o nosso passado as vezes não tem valor nenhum para outras pessoas.
    Grande sensibilidade querida.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Meu Bem... imagino o quanto foi difícil pra você colocar esta postagem, relembrar momentos felizes, pessoas muito queridas que recentemente partiram. Ter que deixar a mansão levando contigo tantas lembranças lindas... Beth queria tanto estar perto, poder te dar um abraço bem forte... melhor parar por aqui.
    Que Deus te abençõe!
    Beijos no coração!

    Fabi.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. São recordações de uma vida inteira que devem ser guardadas e sempre relembradas. Mas eu penso diferente, os melhores anos da minha vida foram passados em um apartamento em SP, praticamente 70% dos habitantes do prédio eram casais com filhos pequenos, fiz muitas amizades e adorava a área de lazer, o apartamento em si era enorme e ensolarado, meus filhos tinham muitos amigos e a Rutha cresceu ali.
    Boa sorte na sua nova jornada, que seja cheia de felicidade e alegrias.
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  13. Quero que saiba que o meu carinho por você é muito grande!!!

    Te Cuida Minha Amada!!!

    ResponderExcluir
  14. Beth, que casa maravilhosa. Ah, se fosse minha. Me dependurava nas janelas e pintaria as paredes de rosa ou azul, nas janelas deixaria o branco mesmo.Encheria de floreiras.
    Mas compreendo, quando se fala em custos, infelizmente cai a ficha e amor é logo substituído pela praticidade, não é?!
    Que bom que estas paredes deixaram lindas memórias.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra querida, enquanto minha mãe estava aqui na terra, as janelas eram cheias de floreiras com gerânios, petúnias, onze horas, cortinas com crochê nas barras (algumas ainda resistem). Mas, quando a mãe partiu e tive a certeza da intenção da maioria dos herdeiros em demolir a "mansão", abandonei as flores e as cores. Mas, logo, logo noutras paragens irei enfeitar do meu jeito a casa que me acolherá!
      As memórias, estas ninguém as tem como eu e nada poderá destruir.
      Fraterno abraço.

      Excluir
  15. Oi Beth..
    Me emocionei com seu relato...Triste saber que a linda mansão dará lugar a um prédio...Lindas recordações que irão com você para onde você for...Que seu desejo se realize na sua nova morada...
    Beijos!
    San...

    ResponderExcluir
  16. Que triste,Beth.Vou sentir sua falta.É muito triste ver aquilo que amamos ser destruído.Espero que fiques bem com teus amiguinhos.Para você é ainda mais triste do que foi para mim a demolição da casa da minha infância,que foi demolida por causa da enchente e deu lugar ao prédio onde hoje moro em um dos apertamentos.Apertamento sim,não é erro de português,não.Imagine uma criança acostumada a ter um espaço grande dentro e fora de casa ter que ser condicionada a viver em um apartamento de menos de cem metros quadrados?Por isso eu sempre lembrava com saudades da casa da minha infância.Quando me tornei miniaturista uma das primeiras coisas que fiz foi recriá-la em escala 1/24.Quando ela ficou "de pé" imagine a minha emoção.Eu queria poder me miniaturizar também para poder entrar dentro da minha casinha e voltar no tempo e ser novamente criança.Mas com você é diferente.Eu continuei no mesmo terreno,na mesma rua,vivi novas experiências,cresci,estudei,namorei,casei,tive e criei meus filhos aqui.
    Mas você viveu toda sua vida nesta mansão e agora terá que deixá-la.Desejo que onde você for morar seja tão lindo quanto a sua mansão e você viva novas alegrias e quando tudo isso passar você volte a escrever e falar dos seus bichinhos e o Mimi,coitadinho volte a desabafar conosco sobre a "exploração a que é submetido" por você e pelos outros bichinhos e sobre o seu namoro com a Nina(ainda bem que ela não sabe disso,senão...rsrsrs...).Desculpe se escrevi muito,mas você é uma amiga que em tão pouco tempo aprendi a admirar e a amar pela pessoa maravilhosa que você é e por este amor imenso que você passa em suas postagens.Beijos e muita paz.

    Da amiga que muito te admira

    Lenira

    ResponderExcluir